Educadores da Fundhas participam de oficinas ‘maker’

A junção dos conceitos de robótica e sustentabilidade promete dar bons resultados na Fundhas (Fundação Hélio Augusto de Souza). Para isso, um grupo de educadores, professores e técnicos vai participar de oficinas de capacitação em robótica sustentável durante o mês de agosto.

Nesta sexta-feira (2), o auditório da Sede, no Parque Industrial, ficou agitado e repleto de novidades. Sob orientação do professor de tecnologias educacionais, André Albuquerque, profissionais da instituição vivenciaram teoria e prática. 

“Hoje, começamos as oficinas ‘maker’ de robótica sustentável. Reutilizamos materiais recicláveis dando novo destino a eles e construindo robôs, com conceitos de eletrônica. Os robôs permitem trabalhar diversas habilidades e os professores poderão replicar tudo com os alunos”, afirmou André.

O conceito da cultura maker reforça o ‘faça você mesmo’ em escolas e instituições educativas. A ideia propõe que qualquer pessoa pode construir, reparar e alterar objetos variados com as próprias mãos e de forma colaborativa.

As atividades ‘mão na massa’ na Fundação permitem trabalhar competências e habilidades diversas com os alunos, além da importância da sustentabilidade e do consumo consciente.

“A proposta reforça as ações estratégicas da Fundhas voltadas à inovação, com a cultura maker, o reaproveitamento de materiais e técnicas de programação”, disse Elisangela Ribeiro Santos Salgado, gestora do Centro de Tecnologia Educacional da Instituição.

Capacitando multiplicadores

O treinamento acontece em oficinas semanais durante todo o mês de agosto. Após formação, os educadores irão atuar como multiplicadores repassando o conhecimento nas Unidades da Fundhas. Em seguida, serão realizadas oficinas com crianças e adolescentes.

Laisa Gasparini é educadora social de Artes na Fundhas há dez anos e, até então, tinha dúvidas quanto a complexidade da robótica. Após a primeira oficina está animada para aplicação em sala de aula.

“A palavra robótica me assustava um pouco, mas estou vendo que é mais simples do que eu imaginava, há muitas possibilidades e fica acessível para transmitirmos aprendizados aos alunos. Vai ser muito bom”, disse.

“É possível trabalhar o cognitivo dos alunos em busca de soluções para problemas diários por meio de projetos inovadores. Além de usar a criatividade e ser multidisciplinar. A robótica com energia limpa e sustentável é algo previsto para o futuro”, destacou André.

Conheça a Fundhas

Ao longo dos 32 anos de existência, a Fundhas contribuiu com a formação de mais de 30 mil crianças e jovens em São José dos Campos, que viram em seus projetos a possibilidade de realizar sonhos e de crescimento profissional.

Mantida pela Prefeitura de São José dos Campos e com atuação no contraturno escolar, a Fundação oferece projetos voltados à música, dança, teatro, artes e um cuidado especial no reforço escolar. Todos os atendidos recebem gratuitamente alimentação, uniforme e transporte.

O Cephas é um Centro Educacional da Fundhas que tem como finalidade oferecer educação profissional através de cursos de formação inicial e continuada, programa de aprendizagem profissional e de cursos técnicos de nível médio.