Matusalém é Gente que Brilha como gestor fiscal em São Paulo



Matusalém é aquela pessoa que quando você começa a  conversar não quer mais parar. Ele fez questão de dar essa entrevista, em um sábado de abril deste ano, véspera de feriado, já que tem uma agenda cheia e trabalha em São  Paulo. Além de advogado é formado Gestão Fiscal e vai iniciar uma pós-graduação em direito tributário.

Ele queria ser “guardinha” igual a irmã Adriana quando entrou na Cosemt (Centro de Orientação ao Menor Trabalhador), onde iniciou as atividades nos jardins das praças na região central. “Sentia vergonha, ficava de olho nos ônibus que vinham do 31 de Março, daí me escondia atrás das árvores”, conta gargalhando Matusalém Marques, 38, pai de Filipe Kainã e Caio Miguel.

Com um 1,90 de altura, quem observa Matusalém, não imagina pelo que ele já passou. A sua entrada na Instituição foi na transição de Cosemt para Fundhas. Ele lembra de uma época dolorida da separação dos pais o que fez com que sua mãe tivesse de trabalhar para sustentar os 5 filhos.
 
Matusalém conta que a mãe, zelosa, lavava os uniformes e como a casa era humilde, precisava secar no varal que ficava em frente da casa. “Eu ia lá e tirava o macacão verde pra ninguém saber o que eu fazia, já que gostaria mesmo era de ser guarda mirim”. Com o apoio do setor de assistente sociais, ele  foi para o Parque Industrial onde fez curso de auxiliar administrativo, mecânico de manutenção e  datilografia.

Com os cursos, ele conseguiu uma bolsa de estudos na escola Synésio Martins para o curso de técnico de processamento de dados o que proporcionou a ele um estágio na Secretaria da Fazenda.

 “Já estava completando 18 anos e um fiscal da receita, reconheceu o meu trabalho e me encaminhou para um escritório onde fiquei por cinco anos”, conta orgulhoso.

Nesse período, aproveitou para se aperfeiçoar  e, com o dinheiro que ganhava no escritório conseguiu dar entrada num apartamento. “Nem tinha tanto dinheiro, mas aluguei o imóvel e acabou se pagando”, lembra.

Depois teve a oportunidade de trabalhar em grandes empresas como a TI Brasil e a Parker, entre outras. Com os irmãos reformaram a casa da mãe que é muito cuidadosa e orgulhosa dos filhos que buscaram a realização dos sonhos.

“O afeto que recebi a Fundhas foi fundamental naquele momento da minha vida, foi lá que recebi orientação e descobri a direção que eu precisava seguir. É preciso que os estudantes entendam que o futuro começa agora. Que eles olhem ao redor do que acontece, dos caminhos certos que podem seguir e aproveitem tudo de bom que a Instituição tem para oferecer”, conclui







Fonte: Não Informou
 
[Voltar]   [Índice de Notícias]